ENTREGA DO TROFÉU MUIRAQUITÃ DE OURO ENCERRA FEST ALTER

Através de filmes, debates e manifestações culturais o FestAlter apresentou distintos olhares sobre o ser humano e as possibilidades de existência.

O FestAlter, na primeira edição, já começou grande e atraiu cerca de 30 mil pessoas. Foram sete dias de um verdadeiro encontro em torno do audiovisual, da preservação da natureza e seus povos. A comunidade local e de Santarém, além de estudantes e turistas receberam um leque de mais de 300 filmes para assistir gratuitamente. Desses, 220 foram avaliados pelos jures do Festival, chegando ao resultado de 8 obras vencedoras. A premiação aconteceu na noite de ontem, 27 de outubro, no Lago dos Botos, em uma grande cerimônia de agradecimento e encerramento.

Longa, media e curta-metragem, além de produção por Smartphone foram as categorias premiadas na Mostra Competitiva. O resultado mais aguardado foi o da categoria longa-metragem brasileiro e internacional. Os vencedores foram “PARA`I”, do diretor Vinicius Toro e Daughters of Winter – Filhas do Inverno, do diretor iraniano, Behzad Khodaveisi.

A entrega do troféu ao vencedor brasileiro, que não pode estar presente, foi feita pela diretora e atriz Christiane Torloni, para a secretária de Cultura do Estado, Ursúla Vidal, no ato, representou o filme ganhador. Na fala, Torloni disse que é uma emoção está em Alter do Chão participando desse evento tão importante.

Segundo Locca Faria, diretor geral do FestAlter, o corpo de jurado sentiu dificuldade para escolher. “Recebemos muitas produções incríveis, várias gêneros com histórias fantásticas. Então as pessoas com a responsabilidade de avaliar e definir os ganhadores foram bem criteriosos até chegar a um consenso”, afirmou.

Entre os convidados para a entrega do troféu Muiraquitã de Ouro estavam Christiane Torloni, Úrsula Vidal, o Secretário de Audivisual do Governo Federal, Roberto Rihan, o Deputado Federal Airton Faleiro, o Deputado Estadual Dirceu Ten Caten e o prefeito Nélio Aguiar. Estiveram presentes também, Henderson Pinto, Secretário Regional do Governo do Oeste do Pará e o secretário de cultura do município, Alberto Figueira.

Grandeza e gratidão

Em seu discurso, Locca agradeceu a todos os presentes, aos moradores da vila de Alter do Chão e aos apoiadores. Ele disse que o Festival foi um sonho construído por muitos. “O sonho aconteceu e foi executado por muitas mãos. Tenho uma equipe aguerrida, que atuou com brilhantismo, sendo ela 90% moradores locais”, enfatizou.

Na oportunidade, o diretor do evento agradeceu também o Deputado Airton Faleiro e o prefeito Nélio Aguair. “Airton não mediu esforços para concretização de tudo isso aqui. Ele é o principal fomentador desse evento. Não posso deixar de citar o prefeito Nélio que acreditou desde o momento em que apresentamos o projeto e co”, afirmou.

A fala do Deputado Airton teve destaque sobre a mobilização feita por ele ao parlamento Estadual e Federal para apoiar política e financeiramente o Festival. “Esse será o nosso papel nas próximas edições. Dois sonhadores tornaram a magia do cinema possibilidades de mais educação, turismo e cultura. Eu me emociono de ser um deles”, falou.

O Secretário Nacional do Audiovisual confirmou o apoio para o próximo ano e ponderou sobre a importância do projeto para Amazônia, Pará e Brasil. Ele se surpreendeu com o número de filmes inscritos. “Fiquei impressionado com a quantidade de produções nacionais e internacionais que estiveram na primeira etapa. Quando soube disse organizei a minha vinda, por que entendi que é um projeto muito valoroso para que a gente possa dar suporte por meio do fomento da cultura”, contou.

Ursúla Vidal acrescentou dizendo que o FestAlter nasce com uma grandiosidade em relação a outros Festivais no Brasil. A secretária de Cultura continuou dizendo que o audiovisual é cadeia produtiva da economia da arte melhor estruturada. “O cinema contém uma completude imensa, você tem a cênica, música, tem equipamentos de ponta para produção cinematográfica, então é um espaço que emprega muito e nós precisamos investir enquanto Estado”, afirmou.

Durante o discurso, o prefeito de Santarém confirmou o apoio no próximo ano. “O evento foi um sucesso, prestigiado, a qualidade do evento foi muito alta nas exibições, palestras e apresentações culturais. Nós acreditamos na força da cultura e juntar ao turismo beneficia muito a população”, finalizou.

Filmes vencedores

O FestAlter atinge a marca histórica de 1.979 filmes inscritos, de 98 países, um recorde no Brasil. A grandiosidade do Festival se concretizou após a quantidade de filmes inscritos. Efeito considerado um recorde, no Brasil, em eventos voltados à sétima arte. Na plataforma de inscrição foram contabilizadas obras de 98 países. Do Brasil, 441 enviaram produções.

A curadoria formada por dez jornalistas e profissionais de oudiovisual, selecionou os 1.979 filmes inscritos, dos 98 países que mostraram interessa na primeira edição do Festival. Posteriormente o corpo de jurados escolheu os 220 filmes que competiram. O júri é formador por cineastas, educadores e jornalistas de várias regiões do Brasil envolvidos com o audiovisual, dentre eles e elas estão, Flavio Tambellini, Ana Helena Gomes, Jodele Larcher, Ericka Bauer, Fernando Mamari, Anselmo Duarte e o cineasta santareno Emanoel Loureiro.

Melhor Longa-Metragem Nacional / 1h20 PARA´Í Diretor Vinicius Toro  
Melhor Longa-Metragem Internacional (Irã) / 1h22 FILHAS DO INVERNO (Daughters of Winter) Diretor Behzad Khodaveisi  
Melhor Média-Metragem Nacional / 29min´ RAÍZES – UM PIANO NA AMAZÔNIA Diretores Carla Ruaro / João Santos  
Melhor Média-Metragem Internacional (Russia) / 30min TERRA (Zemlya) Diretora Julia Kushnarenko  
Melhor Curta-Metragem Nacional / 14min WATÉ´ WÁ (Os Jovens Xavantes que batem água) Diretores CaimiWaiassé Xavante / Leandro Parinai´a  
Melhor Curta-Metragem Internacional (Afeganistão) / 15min ELEPHANTBIRD Diretor MasoudSoheili  
Melhor Smartphone Nacional / 2´38 NOSZTALGIA Diretora Vanessa Malheiros  
Melhor Smartphone Internacional (Irã) / 3´53 FOR AMIR Diretor JavadHakami  
Prêmio do Júri – Contribuição Comunitária NO RIO TAPAJÓS (Perfil e Cultura do povo Tapajós) Diretor Marcelo Amaro
Prêmio do Júri – Contribuição Cultura Afro MOKAMBO (NguzoMalunda Bantu) Diretora Soraya Públio Mesquita
Prêmio do Júri – Animação (Taiwan) FISSO Diretor RaitoLowJing Yi

Prêmio do Júri – Filme Infantil

Zona, filho da Mata (curta brasileiro)

Diretor Augusto Gomes

Premio do Júri – Maior valor artístico 15m

Piú de lá vita (longa internacional)

Diretora Raffaella Rivi

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer deixar um comentário?
Sinta-se à vontade para nos escrever!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *