Assista os Filmes Premiados no Fest Alter 2019

Em função da COVID-19, nós do Festival de Cinema de Alter do Chão, estamos disponibilizando gratuitamente os filmes vencedores da Edição 2019. Pensamos ser uma boa forma de aliviar a pressão do confinamento. Em tempos de pandemia percebe-se o quanto a arte é importante. São músicas, filmes e livros que tem nos acompanhado nessa jornada de quarentena.

Agradecemos imensamente a todos os Diretores / Produtores que autorizaram a Exibição gratuita, O média-metragem “Terra” expira em uma semana, os demais em 3 meses, então Aproveite.

Fiquem bem, fiquem em casa!

Boa sessão!

ELEPHANTBIRD – Melhor Curta-Metragem Internacional (Irã) / 15´

Um mini-ônibus está em uma viagem através das montanhas para Cabul. Cada pessoa no ônibus tem um motivo para fazer essa jornada. Um idoso está viajando para dar um peru ao neto, como seu último desejo antes de morrer. No entanto, a estrada principal está bloqueada por insurgentes. Eles decidem usar uma estrada alternativa, que não é muito segura, e ainda existe a possibilidade de serem pegos por insurgentes.

NO RIO TAPAJÓS (Perfil e Cultura do povo Tapajós) – Prêmio do Júri – Contribuição Comunitária / 1h13

A Cultura do povo que vive às margens do Rio Tapajós é explorada neste documentário através de depoimentos e imagens reais. O Documentário viaja não só pelo tempo, mas também buscando e resgatando a história desse povo em várias comunidades que vivem do Rio Tapajós. O cultivo e preparo do Açai, da Mandioca, e do Tarubá. O descobrimento da borracha e a extração do Latex. O Carimbó com seus ritmos e danças. O Çairé de ontem. A Lenda do Boto, da Buiuna e muitos outros assuntos.

PARA´Í – Melhor Longa-Metragem Nacional / 1h20

Para’í conta a história de uma garota indígena guarani que, por acaso, encontra uma espiga de milho tradicional guarani, que ela nunca tinha visto antes. Ela fica fascinada com a beleza das sementes multicoloridas.
Durante sua busca por plantar as sementes de milho, Pará começa a questionar seu lugar no mundo: quem é ela, por que ela fala português em vez de guarani, por que ela é diferente de seus colegas de classe, por que seu pai vai à igreja cristã, por que eles moram em uma vila tão perto da cidade?

FISSO – Prêmio do Júri – Animação (Taiwan) – 4´58

Animação experimental. Uma pequena obra-prima, um filme que é uma declaração de amor às máquinas fotográficas vintage analógicas e também que valoriza a instituição familiar. Direção brilhante, roteiro e trilha sonora envolvente e bastante emotiva.

TERRA (Zemlya) – Melhor Média-Metragem Internacional (Russia) / 30´

Em 2012, a produção no campo de gás de Bovanenkovo ​​na Península Yamal, uma seção remota da Sibéria, havia começado. A zona industrial estava localizada na rota histórica de migração dos criadores de renas indígenas – Nenets. Hoje em dia eles atravessam a zona industrial para obter as pastagens de verão.

NOSZTALGIA – Melhor Smartphone Nacional / 2´38

Um homem de uma fotografia antiga se apaixona por uma mulher de hoje. Curta experimental brasileiro. Uma jovem mulher ao olhar uma vitrine de antiguidades acaba sendo cobiçada por um motorista de uma foto antiga. Filme que mescla animação stop-motion com atores reais.

WATÉ´ WÁ (Os Jovens Xavantes que batem água) – Melhor Curta-Metragem Nacional / 14´

O povo Xavante de Marãiwatsédé vive em uma área que desde a década de 1960 foi invadida por projetos agropecuários. Expulso de suas terras o povo lutou para retornar. Agora, de novo em seu território tradicional, com um ritual sagrado forma jovens guerreiros, prontos para novas lutas pela sua cultura e sua tradição.

RAÍZES – UM PIANO NA AMAZÔNIA – Melhor Média-Metragem Nacional / 29´

A pianista Carla Ruaro e sua equipe embarcam em uma expedição para levar um piano e apresentar a música de compositores da Amazônia e um instrumento nunca antes visto nas comunidades ribeirinhas do Arapiuns.